26 novembro, 2016

A folha caída


A folha caída e o silêncio do outono a reluzir na calçada.




Texto e foto
Ailime
26.11.2016

20 novembro, 2016

A natureza


A natureza na sua sapiência usa a arte como forma de contornar obstáculos.



Texto e foto 
20.11.2016 
Ailime

12 novembro, 2016

O silêncio


O refúgio no silêncio é como a luz que nos banha ao entardecer.
Apazigua o espírito e liberta-nos o pensamento. 




Texto e foto
Ailime
12.11.2016

01 novembro, 2016

Como as árvores



Assim como as árvores, que no outono se desnudam para se renovarem e darem novos frutos, também nós devemos despirmo-nos dos preconceitos que nos inibem de uma renovação interior, no sentido de continuarmos a crescer e a frutificar, mesmo que nos situemos já no crepúsculo da vida.



Foto e texto
Ailime
01.11.2016


19 outubro, 2016

A voz do vento


Se precisas de paz procura-a dentro de ti e escutarás a voz do vento a segredar-te os caminhos do amor.






Texto e foto
Ailime
19.10.2016

08 outubro, 2016

Como folhas


  O rio cada vez mais longe e as margens silenciam-se como folhas a pousar no outono.





Texto e foto
Ailime
08.10.2016

28 setembro, 2016

Caminhos...


  Há momentos em que nos deparamos com obstáculos nos caminhos que percorremos, que muitas  vezes nos parecem intransponíveis e quase que desistimos de alcançar o rumo traçado. A natureza, espontaneamente, ensina-nos a ousar.  No alto dum penhasco uma pequena árvore subsiste firme.

   


Texto e foto
Ailime
28.09.2016

20 setembro, 2016

Ao pôr do sol


Ao pôr do sol renasce a aurora no coração dos enamorados.




Texto e foto
Ailime
20.09.2016

08 setembro, 2016

A Luz


Hoje quando acordei e abri a janela deixei que o sol afagasse o meu coração.
 Acreditem, depois de uma noite escura é possível a Luz!




Texto e foto
Ailime
08.09.2016

06 setembro, 2016

As coisas simples da vida


É no meio do sofrimento quando a angústia nos sufoca a alma e  a vida parece deixar de fazer sentido, que passamos a valorizar as coisas mais simples, que tantas vezes estavam aquém dos nossos horizontes.




Texto e foto
Ailime
06.09.2016